PUBLICIDADE
Topo

A hora e a vez da Robótica com Sucata

Debora Garofalo

01/10/2019 08h00

Você já pensou em transformar um problema social trazido pelos estudantes em currículo? Foi através da educação criativa que nasceu o trabalho de Robótica com Sucata!

Quando cheguei a uma escola municipal na cidade de São Paulo em 2014 me deparei com uma das realidades mais difíceis como professora em 14 anos.

Os alunos expostos à violência e ao alto índice de tráfico de drogas, residindo à margem do córrego, sem saneamento básico e em casas de madeira. Foi nessa realidade dura que decidi ser professora de Tecnologias, com um objetivo muito claro de transformar a vida de crianças e jovens através da educação e usando as tendências digitais como o ensino do pensamento computacional e de robótica como propulsora a essa transformação.

No entanto, como em muitas outras realidades, não tinha materiais adequados para ensinar robótica aos alunos, e a solução veio de um problema social relatado pelos estudantes, o lixo. Olhar para esse problema social que impedia os discentes de irem à escola em dias de chuva e que, em pleno século 21, traz doenças como dengue e leptospirose, foi a solução.

Com uma boa dose de criatividade na educação foi possível oportunizar aos alunos da periferia da zona Sul da cidade de São Paulo o acesso ao ensino do pensamento computacional e da robótica com sucata, mais do que isso, oportunizar aos alunos serem protagonistas da sua história, ter sonhos, devolvendo a autoestima e possibilitando que os estudantes fossem multiplicadores de conhecimento ao intervir na comunidade.

Para replicar

O trabalho foi todo desenvolvido com os estudantes e em etapas, conforme a seguir:

Aulas públicas – saídas pela comunidade com trajeto definido em sala de aula por cada turma e série com o objetivo de sensibilizar a comunidade local sobre a questão do descarte do lixo e sustentabilidade 3R's (reciclar, reutilizar e reduzir), recolhendo, no percurso, o lixo eletrônico e materiais recicláveis.

Pesagem do material – No retorno à sala de aula, o material era lavado, pesado e separado para a utilização.

Pensamento computacional – idealização do trabalho por meio de mapas mentais e pesquisas com a programação realizada no scratch, software livre educativo e interativo, que funciona por blocos lógicos que dentro possuem a programação.

Robótica com sucata – Exercício de criatividade, inventividade, pesquisa e desenvolvimento do pensamento científico, com a construção de protótipos com funcionalidades específicas dos anseios pessoais dos estudantes, unindo o lixo reciclável e o lixo eletrônico. Entre os trabalhos realizados, estão carros, aviões, barcos, robôs como Wall-e, casas, entre outros.

Compartilhando ideias – Exercício do protagonismo juvenil através da feira de tecnologias, um momento para os alunos demostrarem os seus trabalhos à comunidade e enfatizarem a importância da sustentabilidade.

Por uma educação criativa

Ao unir a criatividade a um problema social, os estudantes puderam trabalhar de maneira interdisciplinar ao usar as áreas do conhecimento como matemática, história, geografia, língua portuguesa, ciências, artes.

O trabalho de robótica com sucata colaborou para a redução da evasão escolar, combate ao trabalho infantil, aumento do IDEB (Índice da Educação Básica) e retirou mais de tonelada de lixo das ruas. Mais do que isso, trouxe significado para a vida dos estudantes. As pessoas são o centro do processo de aprendizagem!

Esse trabalho será multiplicado a partir do próximo ano para 2 milhões de estudantes da rede estadual de ensino de São Paulo e fica o convite para ele fazer parte da sua sala de aula!

Saiba mais

O trabalho de Robótica com Sucata ganhou prêmios nacionais, entre eles Professores do Brasil e o Desafio de Aprendizagem Criativa do MIT, e internacionalmente foi finalista no Global Teacher Prize, o Nobel da educação.

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Debora Garofalo