Topo
Débora Garofalo

Débora Garofalo

Categorias

Histórico

Projeto de Vida e Educação combinam?!

ECOA

09/10/2019 10h31

Inicio a coluna desta semana com uma frase do querido Professor José Moran.

"Ajudar o aluno a desenvolver projeto de vida torna a aprendizagem mais significativa."

A escola tem um papel essencial de fomentar nos estudantes propósitos de vida por meio dos estudos para que desenvolvam seu projeto pessoal dentro e fora da unidade escolar.

Nesse sentido, existem muitas maneiras de reinventar a educação! Para que isso ocorra, a aprendizagem ativa, por competências, é um desses caminhos, ao incluir projeto de vida para que os estudantes encontrem sentido no que estudam e fazem.

Projeto de vida e Educação, combinação perfeita

É necessário falarmos de projeto de vida com nossos estudantes, explorar roteiros ativos para orientar os jovens sobre a sua existência, propondo perguntas fundamentais, que visam escolhas possíveis. O percurso de unir projeto de vida e educação é sem dúvida uma combinação perfeita.

Projeto de vida é uma das competências estabelecidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que dá um norte ao ensino nacional brasileiro e indica habilidades para que os estudantes possam refletir anseios, desejos, objetivos, aprendendo a se organizar, estabelecer metas, planejar e perseguir seus sonhos, bem como, compreender o mundo.

Levando a criatividade para dentro da sala de aula

Já temos um movimento, principalmente nas escolas de tempo integral, com as eletivas, que são disciplinas optativas de escolha dos alunos para o desenvolvimento do projeto de vida, no qual, através de um cardápio, são desenvolvidos vários temas de interesse, como empreendedorismo, clubes de robótica, gastronomia, meditação e até felicidade.

Esses projetos integradores visam trabalhar com autoconhecimento, autocuidado, criatividade, resoluções de problemas, colaboração, empatia, explicitando habilidades e competências cognitivas, além das socioemocionais.

Se sua escola ainda não possui essa disciplina, você, professor, também pode iniciar o trabalho com os meninos e meninas, usando a aprendizagem ativa para prepará-los para enfrentar os desafios da trajetória pessoal, permitindo que vivenciem situações para uma formação integral.

E lembre-se: o professor desenvolve um papel fundamental, o de mediador, mentor para o que aluno se conheça melhor, encontre e ocupe o seu lugar no mundo.

Ferramentas digitais

Neste cenário, é possível incluir ferramentas digitais que auxiliam na personalização do ensino e que ajudam o trabalho em sala de aula. Entre elas, podemos citar:

Mapas mentais

Mind Node: programa muito simples e prático para ser utilizado no dia a dia. Ele ajuda a visualizar melhor as ideias.

Free mind: é um software livre para criação de mapa mental. Ele é simples e objetivo, disponível para usuários Windows e Linux.

Ree Plane: outro programa simples, compatível com Windows e Linux, que facilita a organização das ideias.

Coggle: software online, permite mais que uma pessoa trabalhe com o mesmo mapa mental. Não é preciso fazer download do programa, o que permite trabalhar no projeto de diferentes plataformas (como pelo celular em casa e no computador do laboratório da escola).

Aplicativo

7waves é um aplicativo gratuito que auxilia pessoas no desafio de descobrir, planejar e conquistar objetivos de vida, podendo ser usado para educação.

Professor, defina um norte

Os docentes podem realizar um planejamento com ações e os objetivos que pretendem obter com a atividade, contemplando competências cognitivas e socioemocionais. Podem elaborar questões norteadoras sobre o presente, futuro, ou problemas reais ligados ao cotidiano dos estudantes, entorno, cidade. Para isso, podem utilizar aprendizagem por projetos, como narrativas, construções de diários, histórias (storytelling) e jogos para despertar experiências, compreender o passado e sonhos futuros.

É importante que as atividades estejam relacionadas com foco em competências cognitivas e socioemocionais, como: criatividade, pensamento crítico, responsabilidade, autocontrole, comunicação com outro, possibilitando o protagonismo juvenil e despertando jovens para o projeto de vida, alavancado com seus estudos.

Um abraço e até a próxima semana.

 

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Mais Débora Garofalo