PUBLICIDADE
Topo

A necessidade de (re)inventar a educação em tempos digitais

ECOA

12/12/2019 14h58

Estamos próximos de encerrar mais um ano letivo! Tempo de recuperação escolar, mas também de reflexão e de planejamento para o próximo ano.

É necessário repensar a educação em tempos digitais, escutar nossos jovens, planejar, replanejar, aproximar da escola as necessidades reais dos estudantes.

Estamos vivendo uma revolução tecnológica. Contextualizar essa revolução é uma necessidade real. Nossos jovens nasceram nessa era e estão constantemente conectados. A tecnologia está influenciando a maneira de ensinar e aprender no mundo, criando desafios para educação em todas as etapas da vida.

São muitos os problemas que as escolas brasileiras enfrentam quando o assunto é a tecnologia, falta infraestrutura e conectividade. No entanto, vale ressaltar que ter recursos tecnológicos não garante um aprendizado efetivo. É necessário olhar para a tecnologia para além das máquinas e proporcionar trabalhar também com inovação que agrega atitude, resoluções de problemas colaborativos e empatia.

E como promover uma educação diferenciada para a próxima década?!

Não existe uma receita pronta, mas, alguns caminhos necessários. O primeiro é compreender que é necessário realizar o básico na educação, pautando-se em assuntos relevantes, como alfabetização na idade certa, princípios integrais e tornar o aprendizado significativo para o estudante. E todos temos responsabilidades nessas ações.

O lúdico, por exemplo, não precisa estar presente somente na educação infantil e/ou nos anos iniciais no ensino fundamental I. Ele pode e deve estar presente também em todo o processo de escolarização.

Outro ponto é garantir uma restruturação na carreira docente em condições de trabalho e remuneração, além da formação inicial e formação continuada que dialogue com a necessidade desses novos tempos.

Mudança de atitude

Os estudantes possuem outros anseios e necessidades. É fundamental contextualizar os alunos aos seus interesses. Criar escuta atenta com os discentes é essencial para saber sobre seus projetos de vida e também despertá-los a ter um. Nossos jovens precisam sonhar, e a escola é uma oportunidade de viabilizar os seus sonhos.

Quando falamos de ferramentas digitais, falamos de um mundo no futuro e esse mundo já existe, os alunos têm feito coisas maravilhosas nas salas de aulas brasileiras, inventando e reinventando muitas ações pautadas no pensamento computacional, robótica, sendo necessário apoiar essas ações.

Cultura maker

A cultura maker é um movimento que permite o mão na massa que é a cultura do faça você mesmo. São ações simples que não dependem de altos recursos e perpassa por atitudes. Criar um canto mão na massa na sala para que os alunos possam exercitar esse momento de criação e inventividade são saídas para iniciar uma mudança ativa nas escolas.

Diálogo aberto

Em tempo de tanta disseminação de noticias falsas, é necessário trabalhar com esses temas em sala de aula, e a educação midiática permite que os alunos compreendam o acesso à informação e aprendam a diferenciar noticias verdadeiras de notícias falsas. Mas, mais do que isso, compreendendo o que está por detrás dos dados, ensinando não somente a serem consumidores, mas produtores de tecnologia.

Metodologias ativas

Tirar o aluno da passividade e trazê-lo para o centro de processo de aprendizagem é necessário e existem diversas maneiras de trabalhar com ela por meio de resoluções de problemas, ensino híbrido e sala de aula invertida.

Dicas

Para te inspirar, deixamos algumas dicas gratuitas para você inovar em 2020:

  • Cultura maker: Nave a vela traz cinco dicas para você inovar em sala de aula.
  • Rede Mão na massa: a Rede Mão na Massa (RMM) é uma rede de clubinhos de criatividade que incentiva crianças de 7 a 10 anos a usar papelão, fita adesiva, madeira, tecido, lâmpadas de LED, motores e muito mais, para dar vida a suas invenções e histórias. Fornece materiais de apoio.
  • Ebook Metodologias ativas de aprendizagem, produzido por Sambatech em parceria com a Engaje.
  • A Educamidia traz um programa de educação midiática. Acesse o site e tenha acesso a um curso EAD (Ensino à Distância).

Um abraço,

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Debora Garofalo