PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

A hora e a vez de incentivar o ensino de leitura

ECOA

12/02/2020 04h00

Um dos grandes desafios da educação é o ensino de leitura. Se analisamos dados recentes do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), é certo que nossos estudantes têm problemas com a leitura e interpretação de textos.

Os dados relatam dificuldades em localizar informações no texto de maneira explícita e implícita, de reconhecer uma ideia central e realizar inferências, sendo que a situação é acentuada quando envolve leituras de mapas, gráficos, infográficos, entre outros, não sendo exclusividade da disciplina de língua portuguesa e tendo intercorrências em todas as disciplinas e consequentemente na formação do estudante. 

A educação tem um papel central de incentivar o ensino e propiciar um aprendizado significativo e envolvente, principalmente em um mundo que está em transformação, devido à revolução tecnológica em que a leitura ocorre na esfera impressa, mas, também na esfera digital, com novas maneiras de conceber a leitura com gêneros digitais e textos multimodais. 

Como incentivar o ensino de leitura na escola

É incontestável que o ensino de leitura é essencial para a formação do estudante, ela é responsável pelo desenvolvimento do repertório, vocabulário, estimula a criatividade e facilita a escrita, sendo preciso dar voz aos estudantes e explorar novas maneiras de conceber o ensino, como por exemplo, realizar a leitura dialógica. 

As mudanças perpassam em permitir que os estudantes participem da escolha dos textos e gêneros a partir do gosto e vivências com a leitura. Diante deste cenário, é preciso abrir mão da leitura monológica, em que predomina o individualismo e silencia os estudantes, e priorizar o dialogismo, provocando o leitor a interagir com os textos lidos, estabelecendo e trabalhando a interpretação, a relação do autor com o leitor e que essas possam transcender para as relações humanas e situações cotidianas. 

Assim, é necessário considerar alguns pontos chaves para que seja possível alavancar a aprendizagem em leitura, entre elas:

Ambiente

O espaço para o ensino de leitura faz toda a diferença. É preciso reorganizar o mobiliário, criar cantos de leitura, tecer tapetes ou produzir pufes com o envolvimento dos estudantes. São medidas simples, mas eficazes para ofertar uma mudança na concepção do ensino.

Incentivar a leitura

Criar e desenvolver projetos como "sacola da leitura", "caixa da leitura", "leitura em família", são estratégias importantes para que os estudantes realizem leituras fora do ambiente escolar e envolvam os pais e familiares. Geralmente esses projetos tem um envolvimento familiar grande. o que contribui para aumentar o prazer da leitura e da construção de sentidos do que foi lido, podendo oportunizar uma diversificação na gama de gêneros textuais. 

Dialogismo

O dialogismo consiste em vivências de textos e gêneros digitais com a finalidade de dar voz aos estudantes, estabelecer um dialogo para que os estudantes possam realizar inferências, discutir o texto lido sem a interferência direta do professor que atua como um mediador do processo e auxilia na construção da compreensão de sentidos. 

Gêneros digitais

É necessário inserir no planejamento a leitura com gêneros digitais e os meios que eles circulam.  O trabalho pode partir de exemplos de posts, conversas virtuais, gêneros (vídeo, fotos, texto) e interatividade do leitor com o autor, analisando e conhecendo o contexto da conversa, bem como memes, fanfics, vlogs, permitindo que estudantes conheçam esses gêneros, mas também sejam produtores deles. 

A leitura é o primeiro passo para garantir o desenvolvimento integral dos estudantes e transformá-los em leitores críticos e responsivos. 

Um abraço,

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Débora Garofalo