PUBLICIDADE
Topo

6 dicas para usar e abusar dos recursos digitais na aprendizagem

ECOA

04/03/2020 04h00

No nosso dia a dia estamos acostumados a utilizar recursos digitais pela facilidade e comodidade que esses eles trazem. Na educação devemos ter esse mesmo olhar e levá-los para a sala de aula com objetivos claros, compreendendo o potencial de alavancar o processo cognitivo e desafiar os estudantes a serem também produtores de tecnologia.

Muitos educadores sentem dificuldades em lidar com programas e ferramentas, pois, só tiveram o contato em sua fase adulta, bem diferente, dos nossos estudantes que estão totalmente conectados aos novos tempos, sendo necessário superar barreiras, como ausências de infraestrutura, conectividade e formação docente para inserir nas aulas.

É fundamental desmistificar o seu uso para além de aparatos tecnológicos, relacionando a inovação por meio da criatividade, resolvendo problemas encontrando soluções.

Para que recursos digitais sejam incluídos na rotina escolar, é necessário superar barreiras e usar aquilo que temos em nossas mãos na busca do desenvolvimento da autonomia, criticidade, colaboração e empatia no processo de conhecimento. Abaixo compartilhamos algumas dicas para que você possa usar e abusar de recursos digitais nas aulas:

1- Conheça recursos: Compreenda recursos e softwares que podem ser incorporados ao planejamento escolar, tornando o currículo atrativo e o ensino personalizado. Muitas vezes essas ferramentas de colaboração estão disponíveis no seu pacote,  como Google Drive, Google Sala de Aula e Microsoft Teams que são gerenciadores e permitem trabalhar de maneira colaborativa, permitindo que os estudantes possam ao mesmo tempo visualizar, comentar e participar da elaboração de conteúdo, inclusive pelo celular. Além de vivenciar a aprendizagem ao criar textos multimodais e realizar testes interativos, tornando as aulas atrativas e dinâmicas. 

2- Explore: Muitas ferramentas permitem novas formas de realizar uma prática pedagógica explorando habilidades e competências como empatia, colaboração e criatividade. Produções de vídeos, fotos, vlogs e podcasts são ferramentas que podem ser acessadas pelo celular e computador de forma offline e enriquecem as aulas. 

3- Planeje: Realize atividades em que a experimentação faça parte da aula. Valorizando atividades que tire o aluno da passividade e o traga para o centro do processo da aprendizagem. A cultura maker (que muito vem sendo discutida no Brasil) permite essa vivência, utilizando baixos recursos ao permitir que estudantes resolvam problemas, utilizando a filosofia da mão na massa. 

4- Estimule: Os estudantes necessitam de orientação em relação ao uso, quando o assunto e a Internet, como símbolos e palavras chaves. Indique bibliografia e sites para que desenvolvam trabalhos com informações e confiabilidade. Faça roteiros e leve notícias para o debate em sala de aula. 

5- Use: Estimule o contato com programas autorais e colaborativos. Bons exemplos são Audacity e Gimp, que permitem realizar diversos tipos de trabalho, além de serem gratuitos.

6- Compartilhe: Proporcione momentos para compartilhar as atividades produzidas para além da sala de aula, e que envolva o território educativo para que os estudantes encontrem significado e pertencimento no que estão produzindo, os incentivando a criar e produzir seus próprios textos, histórias, vídeos, filmes, entre outros. 

Ao inserir recursos digitais nas aulas, o professor está inovando e possibilitando aos estudantes vivenciar, criar e inventar por meio da experimentação, oferecendo a oportunidade de serem protagonistas, autorais e construtores da sua própria aprendizagem.

Um abraço.

 

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Debora Garofalo