PUBLICIDADE
Topo

Profissão professor: agente da transformação

ECOA

16/10/2019 09h55

Sim, ser professor é uma profissão! É necessário ter salários dignos, valorização, plano de carreira, respeito como em qualquer outra profissão!

Estudos recentes realizados pela Fundação Varkey em 35 países coloca o Brasil em último lugar em valorização docente. Para acessar o estudo completo clique aqui

É necessário reverter essa situação e ter em mente que professores exercem um papel insubstituível no processo da transformação social. 

O professor carrega, em sua formação identitária, o profissional que vai além de ministrar somente aulas. Ele constitui em sua atuação profissional a prática social. E sua formação técnica não contempla apenas conceitos teóricos, mas competências e habilidades na capacidade de decidir, produzir novos conhecimentos para a prática de ensinar e aprender.

Novos tempos

Nestes novos tempos, o professor do século XXI ganhou novas características como a criatividade e o processo de sempre reinventar e, mais do que isso, é um mediador do processo de aprendizagem entre os conhecimentos teóricos e questões sociais do cotidiano.

Os profissionais deste século têm novos desafios, são parceiros na transformação – que inclui qualidade social da escola, contextos históricos, sociais e culturais que interferem diretamente no fazer pedagógico, cabendo a esse profissional apontar caminhos coletivos para enfrentar demandas do mundo contemporâneo.

Professores são heróis, pois oferecem a oportunidade educacional aos nossos alunos de construir e reconstruir saberes, utilizando o pensamento reflexivo e crítico para transformações sociais e humanas, com propósitos reais, por mais difícil que seja a realidade em que está inserido.

Agentes da transformação

Em um cenário que vemos professores terem destaques internacionais (coloco minha experiência por ter sido considerada neste ano uma das dez melhoras professoras do mundo pelo Global Teacher Prize, considerado o Nobel da Educação, com o trabalho de robótica com sucata) precisamos ser mais valorizados aqui dentro.

E apesar de nem sempre termos apoio e materiais necessários, cada vez vemos professores inovando nas salas de aula e encontrando soluções criativas para alavancar a aprendizagem dos discentes.

Temos muitos projetos premiados no Brasil e, entre eles  o trabalho de Robótica com sucata, que nem sempre envolve grandes custos e, sim, atitude e criatividade aliadas a necessidade, realidade, educação criativa. Sinônimos que podem andar juntos.

Sabemos que a Educação Brasileira não anda bem e que precisamos avançar. No entanto, não podemos esquecer que temos muitos professores de qualidade em diversas áreas e que são inspiradores em suas práticas e merecem ser valorizados, reconhecidos. 

Convido nesse texto a se recordar do seu professor, professora e apoiá-los, fazendo o nosso melhor pela educação. Para nós, professores, nossas crianças, jovens e adultos, são a razão da nossa existência de lutar diariamente. Juntos podemos fazer uma revolução na Educação!

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Debora Garofalo