PUBLICIDADE
Topo

Ideias criativas para tornar a aprendizagem mais atrativa

ECOA

30/10/2019 09h37

É fato que as escolas necessitam de mais recursos e investimentos para tornar o espaço e a aprendizagem mais atrativa. E de que maneira cada educador pode tornar o seu ambiente de aprendizagem mais atrativo?

Com uma dose de criatividade, é possível tornar o ambiente mais interativo aos estudantes. A tecnologia viabiliza novas formas de aprendizagem, sendo necessário sua desmitificação, que vai além do uso de equipamentos e conectividade e passa por metodologias ativas como sala de aula invertida e aulas desplugadas.

Outra aposta são escolas que realizam gestão democrática, possuindo grêmios estudantis, conselho de escola participativo e escuta atenta aos estudantes. Confira abaixo algumas possibilidades de proporcionar um ambiente diferenciado.

Organize rodas de conversas com pessoas externas

Aulas com debates são ricas aos estudantes, pois atraem o interesse dos alunos e conectam o aprendizado à realidade e experiência.

O currículo pode ter um desdobramento ao convidar entidades públicas e/ou privadas para irem à escola dialogar com os estudantes. Essa simples ação foge da abstração do que está sendo trabalhado em sala de aula.

Espaço de aprendizagem

A mudança nas aulas também passa pelo ambiente. Reorganizar mobiliários, criar cantinhos e estações de trabalho ajudam a tornar o ambiente interativo e acolhedor.

Uma maneira é juntar mesas e cadeiras favorecendo que os estudantes trabalhem de maneira coletiva, construindo e descontruindo argumentos de acordo com o currículo estudado e lidando com conflitos, resoluções de problemas, empatia e colaboração.

Sala de aula invertida

As aulas invertidas propiciam que os estudantes se tornem protagonistas e funcionam da seguinte maneira: antes da aula, o aluno recebe as informações do assunto a ser tratado para que estude previamente, que pode ser um vídeo, um texto, entre outros.

Na aula, os alunos levantam suas dúvidas e seus aprendizados, além de expor comentários. Esse processo permite que o estudante tenha mais tempo para realizar o seu processo de aprendizagem, personalizando o ensino. O professor atua como mediador de aprendizagem.

É importante salientar que esse modelo acaba exigindo mais do docente, que deve preparar os conteúdos das aulas com antecedência, mas os resultados valem a pena.

Leve blogs, artigos, vídeos para as aulas

Conectar aos anseios dos estudantes é necessário. As aulas interativas permitem promover a construção coletiva do conhecimento, e blogs, vídeos e artigos devem estar presentes no ambiente escolar.

Neste cenário, é importante realizar uma pesquisa com os estudantes para entender qual a maneira que eles consomem conteúdos, canais que acessam, redes que acessam. Ao conhecer o perfil deles, é possível indicar sites e conteúdos que vão agregar às aulas.

Utilize recursos digitais

A utilização de aplicativos e de ações gamificadas promovem um aprendizado prazeroso. São muitas opções disponíveis de aplicativos de jogos que abarcam os diferentes currículos.

O lúdico deve estar presente em todas as etapas e ciclos de aprendizagem por propiciar um aprendizado rico e significativo. Outra opção é ofertar aos alunos a possibilidade de serem também produtores de tecnologia, criando os seus jogos por meio de programas específicos.

Escute os estudantes

O retorno aos alunos é um elemento essencial. Escutar opiniões sobre as aulas e ouvir os estudantes permitem que o aprendizado seja potencializado.

Neste processo, é importante o professor estar aberto, pois pode ouvir feedbacks que não são os melhores, mas essenciais para poder atuar e tornar o aprendizado envolvente aos estudantes.

É um enorme desafio tornar o ambiente de aprendizagem mais motivador, mas, estabelecendo diálogo com os estudantes e contextualizando a tecnologia dentro da sala de aula, é possível tornar as aulas mais interativas.

Um abraço!

Sobre a Autora

Débora Garofalo é formada em Letras e Pedagogia e mestranda em Educação pela PUC-SP. Professora da rede pública de São Paulo, realizou trabalhos transdisciplinares envolvendo robótica com sucata e animações. Hoje é assessora especial de tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de SP. Foi vencedora do Prêmio Professores do Brasil na temática Especial Inovação na Educação e uma das dez finalistas do Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Sobre o Blog

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula.

Debora Garofalo